quinta-feira, 22 de outubro de 2009

Dr. Willy Gatz e seu Hospital

Hospital Gatz, Esquina da Marquês do Herval com a Andradas. Hoje um terreno vazio.


Segue abaixo a transcrição do texto do cerimonial que contém o currículo resumido do Dr. Willy Gatz, quando este foi homenageado em 1982, na administração do Prefeito Carlos Schröder, com a “Comenda da Cruz Missioneira” pelos relevantes serviços prestados a comunidade.

“Natural da Alemanha e naturalizado brasileiro, o Dr. Willy Gatz nasceu em 27 de março de 1888, formou-se em medicina na Universidade de Bonn na Alemanha em 1917 defendendo tese e recebendo o título vitalício de Doutor em Medicina interna, cirurgia e obstetrícia, aprovado pelo imperador Guilherme II e assinado pelo seu chanceler. Serviu como oficial médico no exército alemão durante a 1ª Guerra Mundial.
Prestou serviços como médico secundário e substituto do médico chefe nos dois grandes hospitais das cidades de Aix la Chapele e Reincheidt, na região de Ruhr.
O Dr. Gatz chegou ao Brasil em 1923, onde visitou as Universidades do Rio de janeiro, São Paulo e Porto Alegre. Porém o espírito pioneiro do Dr. Willy Gatz e de sua esposa, não se contentava em se estabelecer num grande centro, e sim no interior, onde a assitência médica era precaríssima, e por que não dizer, que não havia na época.
Por tudo isso, resolveu fundar sua clínica em Santo Ângelo, última etapa da estrada de ferro.
Começou sua jornada profissional sem recursos de comunicação e transporte, pois havia apenas um carro de praça em Santo Ângelo. Para que pudesse prestar seus serviços aos pacientes das colônias, o único meio de que dispunha era o transporte a cavalo.
No dia 1º de setembro de 1927, inaugurou seu Hospital Particular com seus próprios recursos, sendo o primeiro hospital em Santo Ângelo e na região missioneira, equipado com toda aparelhagem moderna da época, vinda do estrangeiro.
Nesse período ocorreu na cidade uma grande epidemia de desidratação e tifo, sendo que o Dr. Willy gatz dedicou-se inteiramente para combater esses males que estavam causando uma grande mortalidade, principalmente infantil. Com sua dedicação, conseguiu diminuir em 75% o índice de mortalidade, conforme estatística do Registro Civil.
No setor de cirurgia, enfrentou até 1940, grandes dificuldades devido a falta de antibióticos e anestésicos, mas, mesmo assim, as cirurgias eram efetuadas com êxito, pela sua dedicação e capacidade profissional.
Na área de obstetrícia, houve na época, uma sensívelredução, segundo estatística, de mortalidade de parturientes e seus bebês. A cesariana não era divulgada na região, o Dr. Willy Gatz introduziu a cesárea como meio de salvar vidas, em casos extremamente difíceis. Inclusive sua primeira cesariana na região foi o nascimento do nosso ilustre Deputdo Federal José Alcebíades de Oliveira.
O Dr. Willy Gatz, incansável na sua profissão e na sede de adquirir novos conhecimentos e técnicas, realizou várias viagens de estudos para a Europa e Estados Unidos, sempre em prol da saúde do povo missioneiro.
Pela sua dedicação e pioneirismo na região das Missões, numa de suas viagens pela Itália junto de sua esposa, Dona Gerda, foi concedida audiência pela S. Santidade o Papa Pio XI, no castelo de Gandolfo.
Em 1963, sofreu com a irreparável perda de sua esposa, após uma longa e dolorosa enfermidade, para qual, ele que tantas vidas salvou, nada pode fazer, chocando-o profundamente. Retirou-se de suas atividades profissionais por alguns anos, realizando viagens para quatro continentes, dando assim, vasão às suas tendências filosóficas.
Hoje são quase sessenta anos de solo missioneiro. Anos esses dedicados a minorar os sofrimentos de nossos semelhantes e ao bem servir do povo desta região, particularmente da comunidade santo-angelense.
Como vemos, ele ama o Brasil, considerando-o sua verdadeira pátria.
Por isso, recebe hoje a “Comenda da Cruz Missioneira”.


Existe hoje uma da sala no Museu Municipal Dr. José Olavo Machado, criada em homenagem ao Dr. Gatz, onde pode ser admirado alguns dos pertences, ferramentas e utensílios de seu oficio. Porém, a maior obra do Dr. Gatz a Santo Ângelo foi seu Hospital: um marco para a história da medicina na região e no estado. Grande parte do prédio do Hospital Gatz foi demolida há poucos anos, ainda resiste ao tempo parte da obra na Andradas, esquina com a Antunes Ribas. Ao injustificável não há argumento, pior então sabermos que o espaço que abrigou essa importante instituição hoje dá lugar a um terreno vazio no centro da cidade. É triste saber que nossa história, que como o pronome bem diz é de TODOS, fica relegada aos interesses financeiros de POUCOS.

13 comentários:

  1. TUas palavras sao as minhas tambem. Tentei sem chance conseguir salvar uma das colunas quando demoliram a parte principal do hospital mas sem sucesso.

    Uma construcao simples porem bela e com valor inestimavel.

    Infelizmente isto aconteceu em todo o pais (pena que ainda ACONTECA aqui). Estava olhando fotos antigas do RIO, parecia uma Paris tropical nos anos 20, sendo que hoje praticamente NADA mais resta.

    UMa pergunta: tu sabes a lista de predios que foram tombados pela prefeitura recentemente? Gostaria muito de saber.

    Obrigado

    Fernando Schubert

    ferpasan@gmail.com

    ResponderExcluir
  2. Ola, eu aqui mais uma vez

    Fiz um apanhado das fotos do blog e postem num forum internacional sobre construcao / cidades.

    Por favor, de uma olhada, http://www.skyscrapercity.com/showthread.php?t=986000

    DEsculpe se as datas estao incorretas, e se voce tiver mais fotos, podemos conversar para poder divulgar o passado para todo o Brasil e mundo da nossa cidade. Obrigado!

    Fernando Schubert

    ResponderExcluir
  3. Fernando,
    Os únicos prédios tombados oficialmente através de lei municipal são o da prefeitura, o do museu e o da antiga estação férrea (Memorial Coluna Prestes).O que existe é uma lista com mais de 40 imóveis com possibilidades de tombamento que por falta de legislação municipal, o Ministério Público e o Conselho Municipal de Patrimônio Histórico desenvolveram a fim de tentar preservar esses prédios através de uma "vigilancia" da justiça. É importante que cada um de nós consiga mobilizar a população nesse sentido da importância da preservação, conversando com quem a gente conhece e principalmente com os nossos vereadores, afinal é deles que deve partir o desejo de que essa lei saia do papel. É um tema complicado, já que mexe com os interesses imobiliários, mas deve partir da população essa vontade para pressionar o poder público.O que é urgente!
    Valeu por postar as fotos no fórum de construção, muito legal mesmo. Fico feliz que isso esteja acontecendo, sinal de que o blog está cumprindo seu papel.
    Agradeço mais uma vez pela colaboração!!! E Continue contribuindo com a gente!

    ResponderExcluir
  4. Uau que personalidade Darlan!Como o seu Domingão Fortes a vida do Dr Willy Gatz é um livro.Li e reli.Continue trazendo até nós esses personagens e fatos que fizeram nossa história!

    ResponderExcluir
  5. Com certeza Fábio...são histórias de vida incríveis...Dentro em breve postarei a história de mais desses personagens e que para mim é uma história comovente... continue por aqui, comentando e nos auxiliando no trabalho.
    Grande abraço!

    ResponderExcluir
  6. Darlan,
    tu sabes que o patrimônio histórico material e documental não dependem somente de políticos, mas sim de visão contemporânea dos cidadãos que habitam a cidade. Vejamos o exemplo que atualmente está ocorrendo em uma construção na rua Marques do Herval, perto do Clube Gaúcho, estão preservando a faixada da casa ali existente. Creio que são novos tempo...
    Muita Luz!!!
    Eunísia

    ResponderExcluir
  7. Com certeza Eunisia! Depende de todos nós... mas em legislação infelizmente depende de nossos representantes... Mas acredito mesmo que estamos vivendo novos tempos! Grande abraço!

    ResponderExcluir
  8. ola, gostei muito da reportagem, é uma pena mesmo que foi demolido, acho que foi errado ter feito isto, mas eu tenho umas fotos do hospital, e um bloco da farmacia de 1986 e um pedaço da cortina, pois adorava o hospital e um belo dia resolvi entrar, como muitos ja fizeram, era muito lindo por dento, gostaria de saber se alguem tem fotos do hospital para eu olhar. obrigado, leticia

    ResponderExcluir
  9. Olá Leticia!
    Aqui no arquivo dispomos de alguns registros fotograficos do hospital sim...A hora que quiseres aparecer poderemos mostrá-las a você...tentarei expor mais algumas nnas próximas postagens. Quanto as fotos que você tem do hospital seria importante você nos trazê-las para escanearmos e acrescentarmos as mesmas ao acervo do arquivo...todo tipo de registro é importante pra gente!
    Desde já Obrigado!

    ResponderExcluir
  10. ok darlan, e as fotos que vc tem se encontram aonde, neste site mesmo ou ai com vcs? vou procurar aqui em casa as fotos,e em breve lehe dou um retorno, é possivel vc me mandar um email com essas fotos? obrigado leticiapfaff@gmail.com

    ResponderExcluir
  11. Muito interessante este artigo , pois morei na rua dos andradas e cheguei a conhecer este hospital , quando criança , porém não conhecia e nem sabia do que e quem se tratava.Um a lastima saber que não foi preservada a obra de um médico e grande ser humano.Mas valeu a história e saber que o prefeito que o condecorou foi meu professor . abraço parabéns

    ResponderExcluir
  12. Tive o privilégio de muitas vezes conversar com o Dr. Gatz - figura inesquecível. Ele tinha uma filha, acho que se chamava Astrid, que era amiga de minha mãe. o genro dele Dr. Capobianco deu uma revivida no hospital (década de 60 ou 70?). Do hospital guardo a beleza do jardin interno e o "mistério" da esposa dele (que sabíamos viver adoentada e reclusa na ala de moradia). Já pensaste em escrever sobre o Dr. Raiff? Farmacêutico que trabalhou por muitos anos no Hospital Nossa Senhora de Lourdes? Outra personalidade belíssima que viveu em Santo Angelo.

    ResponderExcluir
  13. nasci neste hospital 26 1 48 muito ouvi meus pais comentarem minha veio de redentora entao para me ganhar cledi pinheiro

    ResponderExcluir