sexta-feira, 12 de março de 2010

A Ponte sobre o Rio Ijuí

Na foto acima é possível observar a ponte do Rio Ijuí em madeira e a estrada que dava acesso a mesma em 1922.


A ponte sobre o Rio Ijuí liga Santo Ângelo a Entre-Ijuís e às rodovias que dão acesso a demais localidades do estado. Parece-nos impossível imaginar que um dia ela não estava naquele lugar e que a travessia se dava por balsa ou por dentro d’água. A primeira ponte foi de madeira, construída no inicio do século passado e teve uma enorme importância para o desenvolvimento da cidade.

Em uma das mensagens apresentadas pelo intendente Coronel Braulio de Oliveira, ao Conselho Municipal de Santo Ângelo no ano de 1904 ele transcreve um documento do governo do estado no que se refere a construção da primeira ponte de madeira sobre o Rio Ijuí Grande. O relatório diz o seguinte:


Por ordem do illustre dr. Parobé, digno secretario de obras publicas foi autorisado o diretor da Colônia Ijuhy, nosso amigo dr. Augusto Pestana, a mandar cortar a madeira e fazer transportal-a para o local da obra, para a ponte de rodagem que vae construir-se no passo geral sobre o Ijuhy Grande, seis kilometros distante da prospera villa de Santo Ângelo, em Missões.

Esta importante ponte, que tem 224 metros de secção de vasão, dois encontros, seis pillares de alvenaria e sete apoios sobre estacada, corresponde à uma vital necessidade para a viação fácil e rápida entre os municípios de Cruz Alta, Santo ângelo, São Luiz e Palmeira, feracíssimos na producção agricola e cujos campos apropriam-se admiravelmente a creação vaccum, cavallar e muar.

O nosso eminente chefe dr. Borges de Medeiros, cuja actividade profícua e creadora está votada ao desenvolvimento material e moral do Rio Grande do Sul, como genuíno e acatado sucessor do inviolável extincto dr. Julio de Castilhos, promove incessantemente toda a sorte de melhoramentos para facilitar a vida e economica e industrial de nosso caro Estado.

O orgam republicano se regosija em registrar factos uteis que attestam a benemerencia da nossa administração e envia parabens aos conspícuos amigos general Firmino de Paula e coronel Bráulio Oliveira que tanto esforçaram-se para conseguir esse desideratum.

Brevemente daremos sobre esse mesmo assumpto uma noticia descriptiva da obra e a importancia total de seu orçamento".


O intendente termina o texto ressaltando que: “Felizmente começa a ser uma realidade o sonho dourado dos nossos antepassados!”.

6 comentários:

  1. CLEMENTE SIEVERDING, agrimensor alemão estabelecido na margem do Rio Ijuí Grande por volta de 1920, veterano de Primeira Guerra, foi quem projetou a ponte de madeira cuja foto é aqui veiculada. Seu filho Carlos, hoje com mais de 80 anos, felizmente lúcido, conhecido por SEU BUBI, ainda vive na mesma propriedade e pode contar mais sobre isso. Seu pai não assinou a obra porque não era engenheiro diplomado. SEU BUBI é avô dos meus filhos Maribel e Gustavo por parte de mãe.

    ResponderExcluir
  2. Boa Bier! Seu Bubi deve ter muita história pra contar...Será que ele estaria disposto a uma entrevista uma horas dessas e fazermos um registro oral das suas histórias?

    ResponderExcluir
  3. Certamente, Darlan. E parabéns mais uma vez por esse garimpo tão importante pra nossa memória!

    ResponderExcluir
  4. Luis Carlos da Silva Reis5 de abril de 2010 17:29

    Meu tio, Pedro da Silva,e João Ramanauskas, ambos nacidos na Ressaca do Faxinal, hoje pertencente a Entre Ijuis, foram os responsáveis pela parte de solda da nova ponte sobre o rio ijui, e pelo jeito trabalharem bem pois a ponte continua de pé até hoje.

    ResponderExcluir
  5. Olá Luis! Que bom saber mais detalhes sobre a construção da ponte...Ela continua firme...mas uma manutençãozinha maior tem sio exigida pela comunidade...
    Obrigado pela colaboração!

    ResponderExcluir
  6. 03 anos depois eu fui ver isso!
    O Vô Bubi continua lúcido, aos 86 anos de idade, e com essas e muitas outras historias pra contar. Temos muitas fotos de diversas épocas da ponte. Ele tem muiiiito o que contar, até de disco voador. Pena que esta ultima, ele não tem mais os companheiros para testemunhar, então ele não conta mais. Ele ia amar conceder entrevistas. Sem contar que adora tocar uma gaitinha de boca, e quem se arriscar no alemão, pode ter um longo papo!
    Beijo Bebel Bier (Maribel)

    ResponderExcluir